Perigos em espaços confinados: Acidente de trabalho deixa dois mortos e um ferido

O Ministério do Trabalho, inspirado em modelos americanos que obtiveram bons resultados, publicou em 2006 a NR-33, onde constam os procedimentos de operação que devem ser seguidos pelos empregados e empregadores, no que diz respeito às atividades desenvolvidas em Espaços Confinados.

O que é um trabalho em Espaço Confinado?

Espaço Confinado é qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência de oxigênio.

Alguns exemplos de espaço confinado: Tanques, vasos, esferas, torres, silos, caldeiras, tubulações, túneis galerias, e caixa subterrânea, poços escavação (a partir de 1,5 m de profundidade) porões de subestação, porões de navios, etc.

A Permissão de Entrada e Trabalho – PET é uma autorização formal para a realização dos trabalhos, que serve como guia de identificação dos riscos relacionados ao espaço confinado, dos equipamentos de proteção individual que deverão ser usados pelos trabalhadores e os recursos de emergência previstos para o caso de resgate e salvamento. Este documento devera ser arquivado durante o período de 5 anos, e possuir um critério de rastreabilidade.

Vale ressaltar que o PET, segundo a Norma Regulamentadora NR33, deve ser emitido em três vias e é valida somente para cada entrada, ou seja, sempre que houver interrupção nos trabalhos por condições operacional, de manutenção, segurança ou emergência, uma nova PET deve ser emitida após avaliação atmosférica do local.

Algumas armadilhas importantes devem ser avaliadas para a liberação do local. Verifique com atenção situações como: espaços com revestimentos, paredes porosas, presença de resíduos de baixa volatização, etc.

Assim como os ambientes devem ser vistoriados, os materiais a serem utilizados também precisam ser verificados, tais como: equipamentos para detecção de gases e vapores, de ventilação mecânica, de iluminação, de comunicação, além dos equipamentos de proteção respiratória, serviços de emergência e resgate, etc.

Conforme a NR33, cabe ao Supervisor de Entrada autorizar ou nã  o acesso de trabalhadores em espaços confinados. Esta autorização, a permissão de entrada e trabalho, devera ser arquivada durante o período de 5 anos, e possuir um critério de rastreabilidade.
OBS: a PTE, segundo a Norma Regulamentadora NR33, deve ser emitida em três vias e é valida somente para cada entrada, ou seja, sempre que houver interrupção nos trabalhos por qualquer condição – operacional, de manutenção, segurança ou emergência- , uma nova PET deve ser emitida após avaliação atmosférica do local.

Infelizmente essas orientações são desprezadas por muitos e os resultados muitas vezes são fatais. Veja abaixo um exemplo disso. Esse acontecimento se deu no dia 15/05/2017.

Reportagem

Um grave acidente de trabalho em uma fábrica de ração resultou na morte de duas pessoas. A fatalidade aconteceu, por volta das 11 horas, na empresa localizada próximo da BR-101, no bairro Caputera, em Laguna SC.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Laguna, um funcionário estava realizando a limpeza de um reservatório utilizado para a fabricação de ração. O local, com cinco metros de profundidade por dois metros quadrados de extensão, continha restos de pescado em decomposição, provocando a emissão de gases tóxicos.

O primeiro trabalhador, que realizava a limpeza do local, passou mal após intoxicação e um segundo funcionário tentou resgatá-lo. Porém, também sofreu intoxicação e ambos perderam a vida. Um terceiro trabalhador, que tentou prestar socorro aos colegas, também sofreu intoxicação. Ele foi resgatado pelos bombeiros, reanimado e encaminhado ao Hospital Senhor Bom Jesus dos Passos, de Laguna. Em seguida, devido à gravidade da intoxicação, a vítima foi transferida para o Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão.

Resgate dos corpos

Devido ao local ser de difícil acesso e conter gases tóxicos. Os bombeiros de Laguna, com auxílio de militares de Tubarão, trabalharam por cerca de três horas para resgatar os dois corpos de dentro do reservatório. (Fonte: Engeplus)