Inovação

Pesticida natural foi criado por estudante do Nordeste

Um pesticida natural a base de pequi para combater as formigas-cortadeiras foi criado por João Matheus Balduíno, um estudante de 19 anos que fez a criação para seu último trabalho do Ensino Médio.

O trabalho foi apresentado no Colégio Objetivo de Juazeiro do Norte, na Região Metropolitana do Cariri, no Ceará (CE).

O biopesticida criado por João é baseado em pequi como sua principal matéria-prima, uma fruta comum na região e que costuma sofrer muito desperdício durante a safra.

O pesticida natural é fabricado com a casca do pequi, sendo uma matéria-prima de baixo custo e também de fácil produção, segundo o estudante.

Pesticida natural deverá chegar aos pequenos agricultores

De acordo com o jovem estudante de 19 anos, a ideia é aproveitar o montante do fruto que seria descartado para ser utilizado na criação de um pesticida natural.

O pesticida natural é biodegradável e também não é prejudicial ao solo, sendo pensado para os pequenos agricultores que sofrem com ataques de formigas-cortadeiras em suas plantações.

João planeja que a sua solução possa chegar aos pequenos agricultores de forma totalmente gratuita, pois a agricultura é a principal fonte de renda dessas famílias, que já sofrem com os estragos das formigas-cortadeiras em suas hordas.

Financiamento coletivo do projeto

João pretende incentivar que outros alunos deem continuidade à pesquisa, e para seguir com o projeto, também abriu um financiamento coletivo.

O financiamento coletivo foi criado sem uma meta específica de quantia a ser arrecada, estando disponível para qualquer um colaborar no site chamado Vakinha, onde até o momento já foi arrecadado mais de R$ 13 mil e 111 apoiadores.

O dinheiro arrecadado no site será utilizado para a compra de produtos para a fabricação do pesticida natural, além do custeio com transportes e outras despesas que envolvem o projeto.


Imagem em destaque: Reprodução Colégio Objetivo de Juazeiro do Norte

Fonte: Ciclo Vivo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo