Sustentabilidade

Cientistas criam concreto que regenera suas próprias rachaduras

Cientistas criaram um concreto que regenera suas próprias rachadoras, ao utilizar a tecnologia verde.

A criação foi chamada de bioconcreto, sendo uma das grandes inovações que podem auxiliar o quesito de sustentabilidade na indústria da construção civil.

A tecnologia verde utilizada no concreto que regenera rachaduras funciona ao incorporar bactérias que são autoativáveis ao concreto.

Assim, o material se torna autocurável, evitando a utilização do concreto convencional, tornando a inovação muito sustentável.

Caso uma parede construída com o bioconcreto apresente rachaduras com o passar do tempo, as bactérias utilizadas irão ficar expostas aos elementos físicos.

Entre os elementos físicos usuais, está a água, que se infiltra nos vãos das rachaduras criadas, ativando as bactérias que de forma imediata consumem seu alimento.

Logo após o consumo, as bactérias produzem calcário, como processo de digestão. Esse calcário é fechado completamente as fissuras criadas em cerca de três semanas, sem ser necessário intervir.

Concreto que regenera rachaduras incorpora bactérias

O pesquisador e também microbiologista holandês Hendrik Jonkers desenvolveu o bioconcreto a partir do concreto convencional e também de colônias da bactéria Bacillus pseudofirmus.

A bactéria habita áreas inóspitas, como crateras de vulcões ainda ativos, sendo muito resistente: capaz de sobreviver sem oxigênios por mais de 200 anos.

A Bacillus pseudofirmus ao ser alimentada por lactato de cálcio forma esporos, promovendo assim a regeneração do material.

A regeneração é em qualquer extensão e tamanho, sendo uma ótima opção ao longo prazo, devido a redução dos custos de manutenção, em comparação ao concreto tradicional.

No entanto, o bioconcreto costuma ser 40% mais caro que o concreto convencional, justamente devido a sua origem e resistência à tração.

Além disso, também há o fator da redução nas emissões de carbono, que atualmente é responsável por cerca de 8% das emissões globais de dióxido de carbono, através da produção de cimento.

Devido a sua inovação, Hendrik Jonkers venceu o prêmio European Inventor Award (Prêmio de Inventor Europeu) no ano de 2015.


Imagem em destaque: Foto/Reprodução Internet

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo