Sustentabilidade

Estudante criou um poste autossuficiente com mini turbina eólica

O estudante de design alemão Tobias Trübenbacher criou um poste autossuficiente com mini turbina eólica.

Isto é, se trata de um poste de energia que gera sua própria energia e somente acende quando é necessário.

O poste foi batizado de Papilio, e tem como principal objetivo:

  • reduzir a poluição luminosa;
  • reduzir a emissão de gases de efeito estufa que estão associados à iluminação pública;

Com uma redução na poluição luminosa e na emissão de gases, as pessoas, animais e até mesmo o próprio meio ambiente serão menos impactados negativamente.

“Precisamos urgentemente combater a poluição luminosa e a perda de biodiversidade que vem junto com ela. Isso só pode acontecer se as próprias cidades gerarem energia – por meio de sistemas descentralizados, incorporados localmente, e produtos mais sustentáveis espalhados em grandes quantidades por todos os espaços urbanos. Neste contexto, o vento representa um potencial frequentemente subestimado, mas em constante crescimento”

Tobias Trübenbacher

Como funciona o poste autossuficiente com mini turbina eólica?

O vento é o responsável por movimentar as quatro pás de rotor que são feitas de folha de metal dobrada.

Já a mini turbina eólica está em forma de cata-vento, a fim de ser impulsionada por correntes de ar, como correntes naturais, túneis de ventos (criados por edifícios altos) e também fluxos de ar que são criados por veículos.

O Papilio pode ser acoplado em paredes e funcionar como uma lanterna, a cerca de 3 a 6 metros do solo para “captar” os ventos mais fortes.

A energia cinética do vento é convertida para energia mecânica e então o gerador integrado é responsável por transformar a energia em eletricidade.

O gerador integrado de 300 watts também é capaz de armazenar essa eletricidade em uma bateria recarregável.

O Papilio também conta com um sensor infravermelho de movimento, só ligando quando alguém está passando.

Além disso, a luz somente é direcionada para o solo, com temperatura de cor extra-quente para não evitar e também não prejudicar os insetos.

Resultados do protótipo

De acordo com o estudante, foram realizados diversos testes em Berlim, e durante condições normais de vento, o gerador gerou uma média de até 12 volts de eletricidade, a qualquer momento.

Para Trübenbacher, caso utilizado em grande escala, o poste seria capaz de iluminar cidades sem emitir carbono, operando sem a necessidade de uma infraestrutura subterrânea de eletricidade.


Fonte: Ciclo Vivo

Imagem em destaque: Foto/Reprodução Dezeen

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo