Tecnologia

Professor de Engenharia afirma que é possível construir elevador espacial com nossa tecnologia

George Zhu é um professor de engenharia mecânica da Universidade de York, localizada no Canadá que recentemente publicou um estudo no Acta Astronautica.

O professor afirma ser possível iniciar a construção de um elevador espacial com a nossa tecnologia existente, o que vai totalmente contra as projeções atuais de outros cientistas, onde um modelo funcional seria instalado somente em 2050.

Apesar do projeto ainda somente ter sido testado com satélite experimental, a teoria pode chamar a atenção de agências espaciais, visto a economia do elevador espacial de Zhu.

Professor de engenharia traz um elevador espacial mais simples

De acordo com o projeto de Zhu, seu elevador espacial seria mais simples e prático em funcionamento, mas não é idêntico às ideias de outros cientistas.

O professor afirma que, tecnicamente, o elevador espacial está “meio que pronto”, necessitando apenas alguns ajustes de engenharia e que esses ajustes também “não são complicados”, não havendo dificuldades fundamentais para realizar o projeto.

Em seguida, confira uma ilustração do projeto de Zhu:

O elevador espacial de George Zhu

No estudo do professor, a grande diferença entre seu elevador espacial e o de outros cientistas está em uma das pontas: ao invés de ter uma posição fixa no solo, o elevador seria “parcial” e ficaria no espaço, mas em partes diferentes da órbita terrestre.

Desse modo, transportar cargas mais pesadas e maiores seria possível, visto que em seu projeto esse transporte começaria com um foguete simples, que iria levar a carga até a entrada do elevador espacial.

Após os cabos fossem acoplados, as cargas seriam então levadas até a outra extremidade, em uma posição mais avançada da órbita.

De acordo com Zhu, para que esse mecanismo seja possível, seria preciso utilizar dois cabos ao invés de um só, diferentemente do que preveem os projetos atuais.

Os dois cabos são justificados devido ao sistema do próprio elevador, que necessita de estabilidade em relação à força da Terra.

Como resultado, o elevador espacial do professor de engenharia funcionaria com base em um contrapeso que realiza um trajeto oposto.

Enquanto a carga subiria, outro objeto necessitaria fazer o trajeto inverso ao da carga, de modo que as forças fossem totalmente anuladas.

No entanto, ainda há problemas que devem ser enfrentados no projeto de Zhu, como satélites e lixos espaciais que poderiam colidir com a estrutura longa do elevador espacial.

Dependendo do corpo que colidisse, poderia até mesmo danificar o elevador e causar grandes prejuízos, sendo um dos maiores problemas no projeto do professor.


Fonte: Tecmundo

Imagem em destaque: Imagem/Reprodução Getty Images

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo