Notícias

Caminhões do filme Transformers chegaram ao Brasil

Alguns caminhões do filme Transformers chegaram ao Brasil, mais especificamente foram dez unidades do caminhão Peterbilt 389, que desembarcaram semana passada em Paranaguá, no Paraná.

Os caminhões da empresa Peterbilt foram mais reconhecidos após “interpretar” o personagem de Optimus Prime, líder dos Autobots no três primeiros filmes de Transformers.

Os Peterbilt 389 vieram importados diretamente de Jacksonville, na Flórida (Estados Unidos), devido a um grupo de empresários que são colecionadores.

Os empresários envolvidos pela importação dos caminhões são de diversos estados do Brasil, como Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC), São Paulo (SP) e também Minas Gerais (MG).

Não houve divulgação de informações sobre a chegada e a comercialização dos caminhões do filme Transformers, porém a importação não foi barata.

Alguns modelos semelhantes nos Estados Unidos custam aproximadamente R$ 1 milhão no câmbio atualizado, sem considerar os impostos cobrados pelo governo.

De acordo com o Auto Esporte, é estimado que cada caminhão deve custar aproximadamente R$ 1,5 milhão com a alíquota de 35% e os custos alfandegários.

Informações técnicas sobre os caminhões do filme Transformers

O Peterbilt 389 conta com diferentes informações técnicas, visto que pode receber diferentes opções de trem de força.

Entre eles, está o motor de seis-cilindros em linha turbodiesel de 12,7 litros de deslocamento, e 506 cv (cavalo vapor). Além disso, os modelos podem contar com câmbio manual ou automático com até 18 marchas.

A cabine do caminhão também é ampla, oferecendo espaço para até duas camas, armários e também espaço para televisão.

Por fim, o painel do veículo conta com mostradores comuns, em comparação aos caminhões norte-americanos mais modernos.

Caminhões bicudos não são “bem-vindos” no Brasil

Os caminhões “bicudos” saíram de linha no Brasil recentemente, sendo o último modelo vendido similar ao importado Peterbilt 389 um Mercedes Atron.

O Mercedes Atron parou de ser comercializado no ano passado, devido a legislação brasileira limitada quanto as especificações de caminhões.

No Brasil, há limites não só quanto ao comprimento máximo dos caminhões, como também é considerado seu tamanho completo da composição.

Isto é, no tamanho completo da composição também é somado o cavalo mecânico e a carreta do veículo.

Por conta dessa legislação, os caminhões modernos pesados que estão à venda atualmente são chamados de “cara-chata”, com o motor posicionado abaixo da cabine.

No entanto, apesar de caminhões bicudos não serem exatamente bem-vindos, a Peterbilt pertence ao grupo Paccar, que comercializa os caminhões da DAF (empresa holandesa) no Brasil.


Imagem em destaque: Foto/Reprodução Auto Esporte

Fonte: Auto Esporte

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo