Sustentabilidade

Embalagem feita de pipoca foi criada para substituir o isopor

Uma embalagem feita de pipoca foi criada por cientistas da Universidade de Göttingen, na Alemanha, com objetivo de substituir o isopor.

Os cientistas afirmam que as embalagens do futuro não só devem ser sustentáveis, como também fabricados a partir de recursos renováveis e capazes de serem reutilizados e reciclados facilmente ao final de sua vida útil.

Objetivo da embalagem feita de pipoca

O grupo de Química e Engenharia de Processos de Materiais Compósitos (originalmente Chemie und Verfahrenstechnik von Verbundwerkstoffen) da faculdade de Ciências Florestais e Ecologia Florestal da Universidade de Göttingen investigaram os processos de fabricação de produtos feitos a partir de pipoca há diversos anos.

A equipe tinha como principal objetivo criar alternativas ecológicas ao poliestireno ou ao plástico.

O processo desenvolvido pelo grupo de cientistas tem como base formas moldadas tridimensionais que podem ser produzidas a partir de pipoca “granulada”. 

“Esse novo processo possibilita a produção de uma ampla gama de peças moldadas. Isso é particularmente importante quando se considera a embalagem, pois garante que os produtos sejam transportados com segurança, o que minimiza o desperdício. E tudo isso foi conseguido com um material que será até biodegradável posteriormente”

Alireza Kharazipour, professor e chefe do grupo de pesquisa

Benefícios

Entre os principais benefícios da embalagem feita de pipoca, estão:

  • o material granular é feito a partir de fontes biológicas renováveis;
  • o material é reciclável e pode ser cultivado localmente;
  • produto é útil a indústria de embalagens, a maior compradora de produtos plásticos.

Além disso, o material também possui propriedades repelentes de água, trazendo mais possibilidades em aplicações futuras.

De acordo com Stefan Schult, diretor executivo da Nordgetreide, empresa que detém a licença para fazer uso comercial do produto, a embalagem é uma ótima alternativa sustentável ao poliestireno.

O empresário também afirma que a embalagem é feita a partir de subprodutos não comestíveis da produção de flocos de milho, podendo ser compostada após o uso sem qualquer resíduo.


Fonte: Ciclo Vivo

Imagem em destaque: Foto/Reprodução Freepik

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo