Curiosidades

Método de pavimentação com drenagem do Império Romano foi usado em mais de 80 mil km de estradas

O método de pavimentação com drenagem, realizado pelo Império Romano, foi utilizado em mais de 80 mil quilômetros de estradas, segundo historiadores.

Com os caminhos criados, os romanos também criaram a inovação de contar com estradas pré-estabelecidas, que funcionassem como uma rede pavimentada e também interligada entre si.

Os 80 mil quilômetros de estradas podem não parecer tão extensos, porém com essa extensão é possível dar duas voltas inteiras na Terra (cada volta tem 40.000 km).

Os caminhos criados pelos romanos conectavam diversos continentes, como a Europa, Oriente Médio e também chegava ao norte da África.

A extensão das estradas romanas pode ser vista no “Orbis“, onde também é possível calcular rotas.

As estradas, conhecidas como cursus publicus (estradas públicas), funcionavam principalmente como um meio de comunicação, onde mensageiros levavam ordens de dentro do império.

Além disso, também serviam para transporte de tropas e de suprimentos, e posteriormente para rotas de comércio.

Como era o método de pavimentação com drenagem?

O método de pavimentação das estradas era somente em linha reta, feitas a partir de pedras cortadas e também polidas unidas ao cimento com outros elementos, como:

  • barro;
  • argila;
  • areia;
  • cascalhos;
  • concreto.

Aliás, o concreto foi criado pelos romanos com objetivo de proporcionar maior resistência às cursus publicus da época.

Assim, as estradas eram construídas desde o início com o objetivo de que toda água fosse drenada pelas pedras.

Após a queda do Império Romano, em 476, as mesmas pedras utilizadas nas estradas foram reaproveitadas para erguer castelos medievais.

Impactos das estradas romanas no mundo

De acordo com economistas da Universidade de Copenhague, a prosperidade gerada pelas estradas romanas está diretamente relacionada ao desenvolvimento dos lugares próximos a elas, atualmente.

Os economistas utilizaram um mapa da antiga rede de estradas romanas para comparar com uma um mapa noturno moderno.

Nesse mapa, que é uma foto de satélite da região, é possível ver as áreas mais ou menos iluminadas pela rede elétrica. Segundo os pesquisadores, quanto mais eletricidade há na região, maior é o progresso econômico.

Além do mapa noturno, também foram coletadas outras informações, como as estatísticas da população, sua produção econômica e a densidade das estradas.

Como resultado, todas regiões que eram próximas as estradas romana, hoje possuem além de mais estradas e pessoas, também maior desenvolvimento econômico.

De acordo com a equipe de economistas responsável, o desenvolvimento de diversas cidades da Europa e do continente em si, se deve à persistência da infraestrutura.


Imagem em destaque: Foto/Reprodução Internet

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo