Curiosidades

NASA detectou mais de 2 mil possíveis planetas

A National Aeronautics and Space Administration (NASA) detectou mais de 2 mil possíveis planetas, segundo os resultados divulgados recentemente.

O TESS é um Satélite de Levantamento de Exoplanetas em Trânsito, que tinha como principalmente objetivo justamente descobrir exoplanetas.

De acordo com as informações divulgadas pela agência espacial, foram encontrados mais de 2.200 planetas desde o início da missão, que iniciou em 2018.

NASA detectou mais planetas que o esperado

A previsão da agência era que o TESS encontrasse aproximadamente 1.600 planetas em somente dois anos no espaço, superando as expectativas.

Atualmente, está o ocorrendo a fase de confirmação da existência de todos planetas encontrados, a fim de verificar se eles atendem uma série de requisitos.

Esses requisitos são: se atendem a padrões de medidas gravitacionais, seu aspecto e também a classificação estelar.

Atualmente, dos mais de 2.200 encontrados, cerca de 120 foram confirmados, sendo todos planetas menores e rochosos, que se assemelham a alguns aspectos de nosso planeta.

Descobertas de planetas

Os exoplanetas são os planetas que orbitam estrelas brilhantes, assim como o planeta Terra que orbita o Sol (estrela que é o centro do nosso sistema solar).

A NASA detectou mais de 2 mil possíveis planetas, mas três planetas chamaram a atenção, sendo eles:

  • TOI 849b;
  • LHS 3844b;
  • TOI 1338b.

O TOI 849b está a 700 anos-luz de distância e conta com uma massa 40 vezes maior que a de nosso planeta, sendo três vezes maior que o planeta em si. Outro fato interessante é que com a órbita estreita, um ano aqui na Terra dura menos de um dia no planeta.

O LHS 3844b é o planeta mais próximo à Terra, e sua característica é o calor: a superfície é estimada que seja de 531 graus celsius, visto que está perto de sua estrela que gera alta temperatura). Além disso, o ano do planeta é bem curto, durando apenas 11 horas.

Já o TOI 1338b está a 1300 anos-luz de distância e é o primeiro planeta capaz de orbitar duas estrelas, sendo chamado de circumbinário pela NASA.

Futuro da missão

De acordo com o pesquisador Jean-Philippe Berger, realizar a distinção de detalhes na escala das órbitas rochosas é “equivalente a ser capaz de ver um humano na Lua ou distinguir um fio de cabelo a uma distância de 10 km”.

No entanto, os telescópios sucessores do TESS devem procurar atmosfera em alguns planetas, a fim de encontrar água, oxigênio ou outros moléculas que façam com que o planeta seja habitável


Imagem em destaque: Foto/Reprodução: NASA.

Fonte: Exame

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo