Inovação

Torre solar promete revolucionar o sistema de geração de energia

Uma torre solar promete ser uma alternativa às hidrelétricas, revolucionando todo o sistema de geração de energia.

A torre poderá ser instalada em Petrolina (PE), a fim de testar a tecnologia heliotérmica, capaz de armazenar energia para ser utilizada em qualquer período (dia e noite).

A escolha da cidade foi devida a intensidade solar acentuada, que tem vocação para o projeto devido ao seu clima semiárido.

O projeto conta com apoio da Universidade Federal do Ceará (UFC), Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e também do Instituto Solar de Jülich (SIJ), da Alemanha.

Atualmente, cerca de 65% da eletricidade do Brasil é produzido através das hidrelétricas, o que deverá ser transformado a fim de poupar recursos hídricos.

Segundo o assessor de Planejamento Estratégico da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco, os recursos hídricos estão exíguos e deficitários.

Portanto, é necessário encontrar outra alternativa para promover o armazenamento de blocos de energia, como o caso da torre solar.

O investimento será de R$ 45 milhões, contemplado no Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Chesf, capaz de abastecer 600 residências de baixo consumo energético, com capacidade de geração de 300 quilowatts (kW).

Como funciona a torre solar

A torre solar realiza a geração de energia heliotérmica, utilizando o sol como uma fonte indireta de eletricidade.

Para isso, é preciso que sejam instalados em uma área plana um conjunto de captadores, que são espelhados para gerar essa energia.

Desse modo, os espelhos devem se movimentar de acordo com a posição do sol e refletir os raios captados para a torre solar. É então, nessa torre, que todo calor é armazenado e então transformado em energia.

Armazenamento térmico

Atualmente, a energia fotovoltaica ainda não é capaz de guardar o calor produzido, sendo preciso um sistema de baterias complexo e caro, segundo o professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e também coordenador do Laboratório de Energia Solar e Gás Natural da instituição, Paulo Alexandre Rocha.

Como resultado, como o armazenamento térmico, é possível que a energia fique guardada em forma de calor para quando necessário, ser acionada, independente do horário.

Segundo Rocha, a energia fotovoltaica tem limite de aleatoriedade, pois se não tiver sol ela para, sendo preciso ter a hidrelétrica dando suporte como complementação. Assim como também no caso da energia eólica, pois caso não haja vento, é preciso acionar turbinas da hidrelétrica para compensar a baixa produção.

Já com o sistema de armazenamento térmico utilizado na torre solar, as turbinas são acionadas somente em caso extremo.

Os equipamentos e toda a tecnologia serão importados da Alemanha, mas será incentivada a produção nacional posteriormente.


Imagem em destaque: Foto/Reprodução Internet

Fonte: Portal Solar

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo