Notícias

Hubble está com problemas e NASA está tentando recuperá-lo

Hubble está com problemas novamente, após pouco mais de três meses sem apresentar defeitos, o telescópio espacial parou de funcionar.

De acordo com a National Aeronautic and Space Administration (NASA) em seu comunicado oficial, o computador que é responsável pela transmissão de dados do equipamento havia supostamente parado de funcionar devido a um módulo de memória desgastado.

O computador em questão é um NSSC-1 (NASA Standard Spacecraft Computer-1), e foi construído em 1980 para controlar e coordenar os instrumentos científicos, além de monitorar a saúde e segurança desses instrumentos.

No entanto, após mudar para um módulo de backup, o problema ainda assim persistiu e as equipes vem realizando testes e coletando mais informações sobre o sistema, a fim de isolar o problema.

O computador parou de funcionar no domingo (13), e enquanto isso, todos os instrumentos científicos permanecem em um modo de segurança para evitar mais problemas.

Hubble está com problemas

Mesmo após reiniciar o computador e realizar testes com ambos os módulos para obter mais informações de diagnóstico, não houve uma solução.

A agência espacial norte-americana notou que algo estava errado após o computador principal do Hubble não receber um sinal de “keep-alive”.

O “keep-alive” é definido pela agência como um “aperto de mão padrão entre o acessório e os aparelhos centrais, indicando que tudo está bem.”

Com quase três décadas de existência, o Hubble não chega a estar em “apuros”, pois existem peças adicionais que podem substituir a primária, caso necessário.

Assim, é garantido um serviço ininterrupto para não perder dados importantes que poderiam ser registrados.

Segundo computador em órbita

De acordo com a NASA, ainda há um segundo computador em órbita para ser usado em caso de problema com o Hubble.

Ambos computadores podem acessar e usar qualquer um dos quatro módulos de memória independentes, sendo que cada um tem 64 kilobits de memória CMOS (Complementary Metal-Oxide Semiconductor).


Fonte: Tecmundo

Imagem em destaque: Foto/Reprodução NASA/Smithsonian Institution/Lockheed Corporation

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo